Banda NDK: Aprenda um Pouco com os 15 anos de Estrada dos Músicos

banda-ndk

Banda NDK – 2020

A banda NDK surgiu em 2005 em Jundiaí, e se consolidou como referência de rock experimental nacional. Além disso, completam 15 anos de evolução sonora neste complexo ano de 2020.

Poucas são as bandas nacionais, que se pré dispõem a arriscar fusões sonoras como a NDK.

Sem dúvidas, os caras sempre estiveram atentos a tendências, mercados e movimentos. Por isso, gêneros musicais e culturas nunca foram problemas para a banda. Mas sim, soluções para possíveis parcerias e projetos novos.

De fato, é um desafio resumir 15 anos de história. Mas, neste artigo vamos falar dos principais momentos da banda NDK. Além, de fatores que certamente foram de suma importância, para esta uma década e meia de evolução musical.

Pois de 2005 para os dias atuais, a rotina de trabalho de músicos mudou bastante. Não apenas por conta das tecnologias, mas por todo o cenário midiático e musical.

Certamente a NDK passou por muitos desafios, mas superaram em grande estilo.

Banda NDK – O começo e tudo

Tudo começou em 2005 na cidade de Jundiaí. Mas nesta época, ainda não existia o nome “NDK” a banda se chamava

No Duck e tocava apenas covers. Mas sempre tiveram a ideia de fazer um som autoral.

no-duck-ndk

Banda No Duck

Neste período a No Duck foi conquistando seu espaço e publico na região. Até que o Rick (vocal) foi fazer faculdade no interior de São Paulo em Rio Claro. Aonde chegou a morar por um tempo, mas esta experiência abriu seus olhos.

Pois lá, ele viu uma cena rolando, algumas bandas tocando em festas universitárias. Além disso, com boas estruturas de equipamentos e ganhando cachês consideráveis.

Então, com o tempo a No Duck se juntou e começou a tocar nestas festas de Rio Claro. Desta forma, conquistaram seu público e se destacaram. Chegando a tocar até mesmo nos estados vizinhos.

Tudo isso, só aumentava a vontade da banda de começar a tocar suas músicas próprias.

A grande decisão e o fim da “No Duck”

Após alguns anos, no circuito de festas universitárias e bares a No Dunk criou seu público. Além disso, conquistaram o respeito de todos que os acompanhavam.

Sendo assim, começaram a apresentar suas composições autorais, que foram muito bem aceitas. Prova disso, é o engajamento do público com todo o material publicado na época.

Ainda como No Duck, a banda lançou um EP em 2012, intitulado “Superficial” contendo 5 músicas. Além dele, em 2013 a banda lançou um álbum com 12 músicas, produzido pelo Tadeu Patolla que descobriu e produziu Charlie Brown Jr.

Por fim, a banda também investiu em vídeo clipes, das músicas que mais repercutiram, que são elas: “Bom”, “Minha Paz” e “Superficial”. Tudo isso de 2010 até 2013.

Então em 2014, a banda resolve mudar o nome e todo o conceito estético e sonoro. A fim de se reinventar, criando algo novo e ainda mais profissional, rumo a uma evolução.

E assim fizeram.

Banda NDK – O anúncio da evolução

Em 2014 a banda já anuncia seu novo nome, agora NDK uma abreviação do antigo. Mas com todo um conceito estético e sonoro diferente, mais moderno e maduro.

Então, para mostrar sua nova identidade à banda lançou um single chamado “Evoluí”. A música informa o fato e, faz o convite a todos a evoluírem também. Além disso, o single passa uma mensagem de coragem, e mostra como a NDK está com uma visão bem definida.

De fato, este tipo de decisão é bem complexo para uma banda. Principalmente uma mudança tão radical como foi o caso desta, nome, sonoridade, estética e todo conceito artístico.

Mas neste caso, o resultado falou pela banda. Superaram as expectativas dos fãs, amigos e todos que apoiavam esta nova fase dos músicos. E também surpreenderam aqueles outros.

Já no ano seguinte 2015, a banda laçou mais um Single, intitulado “Missão”. E em 2017, um EP com 5 músicas chamado “Impermanência”.

O resultado da coragem de enfrentar as mudanças

Então com dois anos de banda NDK, o público se multiplicou e o lançamento do EP foi um sucesso. Aqui, a banda já estava tocando nas principais rádios e sendo assunto nas mídias especializadas.

banda-ndk-epCom isso, surgiram parcerias com grandes marcas e muitos shows. Além da abertura de shows de grandes nomes como O Rappa, Nando Reis, Raimundos, Fresno e até do Jota Quest.

Também em 2017, tocaram no palco principal de um dos mais importantes festivais da cena, o João Rock em Ribeirão Preto. Pois a banda foi campeã de um concurso criado pela organização do evento.

Estas são apenas algumas das conquistas, que a banda teve após anunciar sua evolução. Não foi fácil e tampouco questão de sorte, tudo isso foi fruto de muito trabalho. Mesmo porque estamos falando do final de 2017.

Ano em que nos despedimos de grandes ídolos como Chris Cornell (Soundgarden/Audioslave). Além do Chester Bennington (Linkin Park).

Um resumo do cenário do rock que a NDK viveu

Certamente se você nasceu no final dos anos 80 e início dos anos 90, você viveu o rock nos anos 2000. Ou então acabou conhecendo muitas bandas, mesmo se por terceiros.

Isso porque, muitas bandas da cena underground dos anos anteriores, se destacaram no inicio dos anos 2000. E consequentemente promoviam o rock no geral, e isso abria muitas portas para bandas que estavam iniciando. Como foi caso da “No Duck” lá atrás em 2004, ano este em que Dead Fish lançava o álbum “Zero e UM”, hoje um clássico álbum de rock.

Então, a primeira década dos anos 2000 foi muito forte para o rock. Sem dúvidas surgiram muitas bandas nacionais e internacionais que fortaleceram a cena.

banda-ndk-2013Mas, no inicio de 2010 em diante, muita coisa mudou. O rock perdeu bastante sua força perante o “grande público” e até mesmo sua visibilidade nas grandes mídias.

Em 2013, ano em que a “No Duck” lançava seu primeiro EP, nós perdemos nosso eterno Chorão. Uma das maiores inspirações do vocalista da NDK (Rick), que carrega tatuado no peito um logo da banda.

Atualmente em 2020, o rock sobrevive do underground e não nas grandes mídias.

Sonoridade da NDK

Uma definição do vocalista Rick para a sonoridade da banda é: “O eterno agora em constante mutação”. De fato, define muito bem, pois é um som sempre moderno e repleto de experimentos.

Álbum NDK

Álbum NDK

Sendo assim, ouvir todos os trabalhos da banda é uma experiência sonora incrível. Além de serem repletos de referências ricas em conteúdo cultural/intelectual, os experimentos sonoros quebram qualquer monotonia.

Um diferencial, é que a banda não busca um “meio termo”. Cada música é uma experiência sonora diferente, mas que se conectam pela ideia central da mensagem do álbum.

Como é possível perceber no primeiro álbum da NDK, que carrega o nome da banda. Este álbum contém 12 músicas, são 38min e 17s de viagem sonora. Nele a banda passeia por rock, hip hop, eletrônico e até pop.

Além, de músicas que misturam e oscilam entre sons orgânicos (dos instrumentos) e eletrônicos.

Primeiro álbum da banda

Sobre este primeiro disco: A “Missão” da NDK não é buscar um “Sexto Sentido” para tomar decisões. Mas sim, dar cada passo na “Dose Certa” de velocidade, sempre um passo de cada vez.

Mesmo que tenha que pingar um “Colírio” às vezes, por conta da poluição do dia a dia para seguir em frente.

E sem medo do “Desconhecido”, para lá na frente poder dizer, “Evolí”. Pois do contrário “Que Cê Vai Fazer?”, o importante é agir, nem que seja “Por um Segundo” todo dia. Quem avisa amigo é, então levante e diga “Vou Tuxar” rsrs.

Às vezes, vivemos em um eterno “Cabo de Guerra” com nossa mente nos levando “Pra Trás”. Mas diga a você mesmo: Sou mais eu, vou pensar em “Em Mim”, me cuidar e caminhar rumo a vitória.

Esta é um pouco da essência do primeiro álbum.

Em 2020 um mistério, fim da banda? E agora?

Sem nenhum aviso prévio a banda apagou TODAS as fotos do Instagram. O site Minuto Indie promoveu a noticia, os fãs buscavam motivos, mas, ficaram sem respostas. A banda com mais de 18k na rede social literalmente sumiu.

Porém, para alegria dos fãs que acompanham a banda nestes 15 anos, tudo não passou de uma inteligente sacada de marketing. Idealizada pelo vocalista Rick, que é  um profissional da área e ajuda muitos artistas com sua agência de MKT Musical chamada “Marã”.

Retirar as fotos do Instagram, foi o primeiro passo de um projeto grandioso da banda. Literalmente incrível, que certamente você nunca viu.

Isso tudo aconteceu na madrugada do dia 2/06/2020, aqui começa uma grande história. Que nós só vamos saber a conclusão dela, em novembro deste ano.

Você acredita em vida fora da terra, nave espacial… Esse tipo de coisa?

Esta é a pergunta que o delegado Trebor faz ao investigado Ulib, que vai investigar o sumiço de uma banda.

Todo o projeto foi milimetricamente pensado, cada detalhe de TUDO. A começar pelo nome do investigado Ulib,

banda-ndk-o-selenita

Selenita

que tem como referência a Ulibologia (Religião fundada por Urandir Fernandes de Oliveira em 1997). Que tinha como figura central um “Extraterrestre” chamado Ulib.

Depois, o nome do álbum “O Selenita”. Isso mesmo, o cristal especial que tem seu nome originário do grego “selele” , ou Lua. É uma variedade de Gipsita, bem cristalizada e de aparência vítrea.

Para explicar e anunciar o projeto, a banda fez este vídeo de introdução, confira.

Primeiro vídeo de introdução e inicio da viagem

Com direito a um disco voador e tudo, a banda lança o vídeo de introdução. Sem dúvida, uma produção incrível e que gera uma grande curiosidade do que vem pela frente.

Até o logo da banda foi adaptado neste trabalho minimalista. O logotipo da banda é uma seta, que significa direção, seguir em frente. E se olhar no centro, vera o símbolo da paz.

ndk-logo                                          

Este logo estampa a capa do EP “No Duck” de 2013. Desde então vem sendo otimizado com base no tema dos discos. Sem dúvida, um exemplo de dedicação, estudo e criatividade da banda NDK.

Single “Lua” – Não tenha medo, aqui sempre foi assim

Então o álbum “O Selenita” terá 16 música, sendo 2 instrumentais e 14 completas. De agosto até novembro, a cada 15 dias a banda vai lançar um single. E em novembro o álbum completo que fecha este grande roteiro que a banda criou.

Certamente, o clipe do single “Lua” é uma obra riquíssima, a letra tem um encanto e ao mesmo tempo uma profundidade incrível. Sem dúvidas, será material de estudo de faculdades em um futuro próximo.

Logo de cara, a banda já faz uma crítica social e cultural incrível. Mostrando hieróglifos que mostram a relação de “Poderes” e “Escravos”.

            

 

Em seguida, o clipe já mostra a fila de trabalhadores no ano de 2049 (onde se passa o roteiro), na mesma situação. Realmente, aqui sempre foi assim.

O clipe está no YouTube e aqui também para assistir. O single já esta disponível em todas as redes sociais.

Single “Buraco Negro”

Este é o nome  do segundo single lançado, até o momento da publicação deste artigo.

Single_Buraco_Negro_NDK-scaledDe fato, o single se completa bem com a música lua. Pois é praticamente um desabafo de alguém muito insatisfeito com o modo que aqui sempre foi.

Então no inicio da música, a pessoa diz que ligou sua nave a saiu pra voar. Pois já não se sente em casa no planeta terra, e por isso, foi em busca de algo que nem sabe o que é.

Além disso, a música tem toda uma atmosfera espacial, assim como a anterior (Lua). Aqui, temos vários elementos sonoros e discursos, que somados brincam com nossa imaginação.

O conjunto da obra, realmente cria todo um cenário na mente. A expectativa para a obra completa em novembro é grande.

Considerações finais

Nestes 15 anos de estrada, a banda NDK conquistou seu espaço e respeito. Além de uma linda carreira, repleta de histórias e momentos inesquecíveis.

Sem dúvidas, muitos fãs também sentem isso. E guardam em seu coração um show, uma foto, um abraço ou mesmo uma música que foi trilha sonora de um momento da vida. Tudo isso tem um nome, chama-se experiência.

Esta palavra, define muito bem o trabalho da banda NDK como um todo. Cada projeto, vai muito além das músicas, nunca é apenas um single ou música nova. É sempre uma experiência nova e muito enriquecedora culturalmente.

Atualmente a banda é formada por Rike (Voz), Caio (Guitarra), Fer Lavinhati (Guitarra e Voz), Júlio Pires (Baixo e Voz) e Gustavo Santos (Bateria).

Com a mente no futuro

O roteiro de “O Selenita” passa-se em 2049. Sendo assim, a banda tem modernizado muito sua sonoridade, a fim de criar este ambiente sonoro.

Nota-se, com base nas bandas em alta fora do Brasil, que cada vez mais, se destaca o som mais eletrônico dentro do Rock. Algumas bandas que surgiram 15 anos atrás junto com a NDK, estão seguindo esta vertente sonora também.

Então, é interessante analisar como a banda está sempre pensando a frente. Estudando o passando, analisando o presente para construir o futuro.

Então, apresentamos aqui um pouco do passado da banda NDK, que atualmente completa 15 anos de estrada. E está lançando um disco falando diretamente do futuro.

CLIQUE AQUI <<— Para acompanhar os próximos singles

Clipe Lua

Spotify

Curtiu? Então conheça esta banda, que também tem uma sonoridade futurista, CLIQUE AQUI.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário